Como os Security Tokens funcionam?

5.11.2019

Entender como os Security Tokens funcionam ainda é algo que a maior parte dos traders, investidores e interessados no assunto buscam

Depois das criptomoedas, dos smart contracts, das utility tokens, agora temos os security tokens. Considerados como a próxima grande tendência do universo de ativos digitais, os security tokens vão gerar uma revolução no mercado financeiro e de capitais.

É um conceito ainda bastante novo e com uma tecnologia que vem se consolidando, mas apresenta um grande potencial disruptivo e de criação de novas oportunidades de negócio.

Mas como os Security Tokens funcionam?

 

Os Security Tokens

Se você digitar “Security Tokens” no Google agora, você encontrará centenas de artigos, especulando sobre o quão rentáveis podem ser para quem investir neles e outros artigos afirmando que isso representa uma bolha potencialmente perigosa para os investidores. Mas essas são meras especulações de pessoas que vivenciaram as fases iniciais da tecnologia. De fato, os security tokens ainda são uma novidade e mesmo com alguns projetos já tendo sido testados com essa tecnologia, muita coisa ainda está sendo experimentada.

Mas muitos pontos importantes da parte técnica já se confirmaram e os security tokens estão começando a passar por uma fase de regulamentação por parte dos governos de diversos países. E, apesar de no Brasil isso ainda não ser uma realidade, pois as regulamentações ainda estão sendo planejadas, já vemos uma certa movimentação dos órgãos reguladores nesse sentido.

 

O teste de Howey

Uma maneira de saber se um token pode ser considerado um security token é aplicar o “Teste de Howey”. Esse é um teste desenvolvido em 1946 pelo Supremo Tribunal norte-americano para determinar se uma transação se qualifica para ser considerada uma forma de “contrato de investimento”.

De acordo com duas Leis – a Lei de Valores Mobiliários de 1933 e a Lei da Bolsa de Valores de 1934 -, os tokens criptográficos que atingirem uma determinada pontuação no Teste Howey serão considerados security tokens, em vez de utility tokens. Como tal, esses tokens estão sujeitos a requisitos específicos de registro e divulgação.

O Teste Howey considera um token como um security token se envolver:

  1. Investimento de dinheiro
  2. Participação em empresa
  3. Expectativas de lucro
  4. Retornos vierem dos esforços de trabalho de outras pessoas

 

Como os security tokens funcionam?

Os security tokens funcionam como solução para diversas atividades diferentes: levantar investimentos para uma startup ou uma empresa mais consolidada; fazer a tokenização de ativos do mundo real criando ativos digitais; entre muitos outros usos.

No caso de levantar investimentos para uma startup, esse é um caminho bastante interessante, em especial para startups com soluções mais inovadoras e que chamam bastante a atenção com relação ao potencial de retorno sobre o investimento.

As ofertas de security tokens (STOs) regulamentadas e legalmente compatíveis, neste caso, estão fornecendo uma nova fonte para o financiamento de startups, pois funcionam em um sistema transparente, eficiente e com um nível de segurança digital bastante atrativo: o blockchain.

Os security tokens também podem servir para ajudar na tokenização ou securitização de ativos existentes no mundo real. O processo de tokenização de ativos globais do mundo real representa outra enorme oportunidade potencial. Os ativos patrimoniais mundiais são avaliados em torno de US$ 70 trilhões e estima-se que os ativos imobiliários excedam US$ 230 trilhões (US $ 180 trilhões em propriedades residenciais, US $ 32 trilhões em propriedades comerciais e o restante em imóveis agrícolas). É um mercado bem grande para ser trabalhado.

A adoção em massa de security tokens substituirá parte dos sistemas de negociação de valores mobiliários, minimizando o custo geral de administração dos sistemas atuais e gerando outros benefícios, como mais liquidez para ativos pouco líquidos.

 

Como um security token ganha valor?

Quais funções um token pode servir para obter valor? Essa é uma das perguntas mais importantes para entender como um security token ganha valor. Diferentemente dos utility tokens, a valorização dos security tokens é  muito influenciada por fatores externos ao blockchain em si. Aqui estão alguns dos fatores que devem ser considerados:

Avaliação do ativo subjacente
Os security tokens que representam ativos reais são altamente influenciados pelo preço do ativo em si. Tomemos o exemplo de um token que representa ações de uma empresa privada, à medida que o valuation da empresa aumenta, é provável que o preço do token também aumente.

Fluxo de Caixa e Dividendos
Muitos tokens representam ativos que geram caixa, como aluguéis de imóveis, por exemplo. É provável que esses tokens emitam regularmente um dividendo para os detentores de tokens. Os tokens que emitem um dividendo mais alto podem ter preços mais altos do que outros tokens com um dividendo baixo.

Liquidez
A liquidez é um desses fatores essenciais para a valorização de qualquer ativo. Quanto mais compradores e vendedores negociando o ativo, mais provável é que os investidores tenham sempre oportunidades de fazer negócios no token em questão, consequentemente, suas percepção de valor para este token deve se apreciar.

 

Por que o mercado está animado com os security tokens?

Os security tokens tendem a movimentar os órgãos reguladores para o desenvolvimento pleno de uma regulamentação que o mercado espera há bastante tempo, assim como os investidores de ativos digitais.

O fato é que com uma regulamentação mais solidificada, mais investidores terão interesse em aplicar seu dinheiro em projetos de criptoativos. Mas diferente dos utility tokens que são criadas apenas para oferecer a utilização ou o acesso a determinados produtos e serviços, os security tokens são enxergados pelo mercado como tokens de investimento.

A tendência de longo prazo indica que haverá muito mais security tokens chegando ao mercado nos próximos anos, pois o hype que os cerca continua a crescer e (possivelmente) alguns tokens existentes serão reclassificados.

No momento, não existe uma plataforma dominante para negociar security tokens, e os complexos problemas de conformidade que eles levantam significam que é improvável que isso aconteça no futuro imediato.

Se você deseja investir em uma plataforma ou security token não comprovado, é, portanto, uma questão de escolha: embora a chance de lucros existir, também existem riscos envolvidos que precisam ser bem avaliados.

sobre o autor


Redação

Redação

Somos um site focado em criptomoedas e tudo o que permeia este universo. Voltado para todos os públicos interessados, desde os que querem aprender mais sobre o assunto até os que tem vontade de se aprofundar, o Future of Money oferece um rico conteúdo de forma simples e objetiva para disseminar cada vez mais o conhecimento sobre os digital assets.

mais artigos do autor