Como criar um Token de Valor Mobiliário (security token)?

5.11.2019

Como criar um token de valor mobiliário (security token) pode impactar positivamente a atividade econômica de empresas e governos?

Dentre as várias utilizações de security tokens para a economia digital, uma das principais é a de capitalizar empreendimentos por meio de uma STO ou security token offering (em português: oferta de token de valor mobiliário). Mas por que esse formato de investimento tem atraído investidores?

Investimentos em STOs são mais dinâmicos: a praticidade e velocidade maior para investir é um dos grandes atrativos. Além disso, a transparência das negociações, os sistemas digitais em que são negociadas e sua descentralização trazem grandes vantagens para os investidores.

Por isso, mais empresas têm planejado criar security tokens ao redor do mundo. Para visualizar melhor como essa tendência está crescendo, no 1º trimestre de 2019, houve um aumento de 130% nas Ofertas de Security Tokens, com 47 novos STOs no período, segundo uma análise recente da Inwara, uma plataforma de inteligência de mercado.

No artigo de hoje, vamos explicar os aspectos estratégicos e de mercado de um STO e alguns detalhes dos processos para criar um security token.

 

O momento certo para fazer uma STO

Quando iniciar um STO? O lançamento de um STO tem como foco aumentar o capital de uma empresa, de uma startup, levantar fundos ou gerar liquidez para ativos reais. Para isso, em geral, esses projetos precisam atender a dois ou mais dos seguintes critérios:

– Ter expectativa de gerar pelo menos R$ 10 milhões de receita anualmente

– Ser uma startup de alto crescimento

– Realizar negócios entre vários países

– Ser fundamental que se conectem à base de clientes da empresa

– Buscar níveis mais altos de liquidez para os acionistas

 

Como criar um Security Token?

Para criar um security token, sua empresa precisa passar por 4 etapas:

1. Preparação
2. Pré-STO
3. STO para investidores credenciados
4. Pós-STO

Agora, vamos entender os 4 pontos em detalhes.

1- Preparação

Já explicamos que a diferença básica entre um security token e um utility token padrão (oferecido na maioria das ICOs) é que o primeiro tipo necessariamente oferece um retorno sobre o investimento, pois possui ativos reais subjacentes. Um security token pode representar derivativos, ações, equity, commodities, imóveis, objetos de arte, carros, entre outros acordos com possíveis ganhos de capital.

Agora, nesta primeira etapa, ocorre a elaboração do security token propriamente dito. É aqui que são definidos pontos como qual o objetivo de levantar capital, as regulamentações legais, a escolha da plataforma do security token, a criação de um whitepaper explicando o projeto, a construção do time que vai desenvolver o código do token e a criação do website para divulgação da STO, entre outras tarefas.

O Whitepaper

Nesta etapa, vale a pena destacar a importância do whitepaper para o sucesso do seu security token. Ele representa um documento oficial da STO e é crucial para os investidores entenderem o produto. Ele precisa apresentar de forma concisa, no mínimo, os seguintes pontos:

  • Detalhes do produto/negócio
  • Visão geral do mercado
  • Arquitetura Técnica, blockchain e tipo de smart contract
  • Membros da equipe e assessoria

Plataformas de security tokens

As plataformas de negociação de security tokens, nos EUA conhecidas como sistemas de negociação alternativos (ATS), são plataformas regulamentadas e especificamente estabelecidas para a negociação de valores mobiliários, neste caso, security tokens. Estas plataformas foram criadas para facilitar a transação de tokens que demandam registros e autorizações por parte dos órgãos reguladores norte-americanos, como é o caso dos security tokens. Por atraírem cada vez mais e mais investidores, elas geram liquidez no mercado, uma das principais vantagens, mas também um grande desafio, deste mercado.

Já as plataformas de emissão de security tokens foram construídas para simplificar o processo de emissão, a fim de trazer mais investidores para as ofertas e facilitar a vida dos empreendedores e donos dos ativos a serem ofertados. As plataformas auxiliam no processo como um todo, facilitando a criação do token, a elaboração da documentação legal, da estruturação tecnológica, do marketing e os procedimentos legais necessários com relação aos regulamentos da jurisdição de cada país.

2- Pré-STO

Nesta segunda etapa, começam as integrações de infraestrutura e tecnologia. É preciso integrar o site do STO com as ferramentas de compliance; criar o security token e seu smart contract efetivamente, tarefa dos desenvolvedores da equipe; contratar custodiantes e outros fornecedores; e apresentar a STO para o mercado.

É necessário definir qual blockchain e o smart contract para o seu security token. O mais comum é o ERC-20, baseado no blockchain Ethereum, mas hoje já existem diversas opções e seu time de desenvolvedores é que precisa decidir qual é a melhor opção para o security token que você está oferecendo.

O ponto sobre consultar custodiantes precisa ser discutido: essa consulta está relacionada com o fato de que ativos do mundo real, como ativos imobiliários, dinheiro, ou ações de empresas privadas, podem ser usados como garantia para a emissão de security tokens. Esses ativos são mantidos sob custódia de terceiros com mecanismos de empresas fiduciárias.

3- STO para investidores qualificados

A terceira etapa consiste na venda para os investidores e no suporte à comunidade. É agora que a empresa faz a venda dos security tokens.

A venda pode ser feita por meio de um botão no seu site, que leva os investidores para uma etapa de registro e verificação KYC/AML. Essa verificação significa Conheça seu Cliente (do inglês Know your customer) e serve para verificar a identidade do cliente a fim de evitar financiamentos vindos de grupos de tráfico de drogas, terroristas, ou alguma outra prática criminosa. AML significa Anti-Money Laundry (contra a lavagem de dinheiro).

O suporte à comunidade está ligado a três canais principais: redes sociais, chat do seu website e fóruns de criptoativos. São esses os principais canais de comunicação que você precisa estar atento para responder eventuais dúvidas dos clientes. Apesar de que isto deve evoluir com a evolução do mercado.

4- Pós-STO

Aqui, são oferecidos serviços de suporte técnico para garantir um bom funcionamento do security token e também é feita a construção do produto. Explicamos:

A construção do produto é a construção de uma aplicação segura e robusta para suportar o bom funcionamento do security token no blockchain. Nesta etapa, a equipe de desenvolvedores que você contratou para criar o security token será novamente essencial.

sobre o autor


Redação

Redação

Somos um site focado em criptomoedas e tudo o que permeia este universo. Voltado para todos os públicos interessados, desde os que querem aprender mais sobre o assunto até os que tem vontade de se aprofundar, o Future of Money oferece um rico conteúdo de forma simples e objetiva para disseminar cada vez mais o conhecimento sobre os digital assets.

mais artigos do autor