Como comprar e vender Bitcoin?

5.11.2019

Como comprar e vender bitcoins é uma grande dúvida de investidores do Brasil e do mundo que enxergam a moeda digital como uma boa opção

Bitcoin. A criptomoeda com um valor de mercado (em outubro de 2019) de mais de US$ 144 bilhões é uma das mais comercializadas no mundo todo como ativo digital em instituições bancárias, exchanges ou como investimento individual sem a necessidade de intermediários. Ela funciona desde 2009 sem interrupções e é baseada na rede blockchain, criptografada e descentralizada.

Mas qual é o segredo para despertar tanto desejo em alguns e chamar tanto a atenção de especialistas e leigos?

Será a hipervalorização da moeda, que foi de US$ 0,0033 em 2010 (ano em que um programador comprou uma pizza de US$ 30 por 10.000 bitcoins no dia 22 de maio, data que ficou conhecida como Bitcoin Pizza Day) para US$ 10.000,00 em outubro de 2019? Esse com certeza é um fator importante, mas a disrupção da criptomoeda por conta de sua descentralização é, talvez, o fator essencial por trás de seu sucesso.

Fato é que muitos investidores – dos mais experientes aos iniciantes – enxergam o bitcoin como uma ótima oportunidade de investimento. E com isso começou a surgir a dúvida: como comprar e vender bitcoins de maneira segura?

O artigo de hoje foca exatamente nesse ponto: como fazer a compra e a venda de bitcoins de maneira segura e prática, sem complicações, sem dores de cabeça; se vale a pena comprar bitcoin e como acompanhar as altas e baixas do bitcoin.

 

A compra e venda de bitcoin

Quer comprar bitcoin (BTC), mas não sabe como? É natural, afinal estamos diante de um ativo digital bastante recente se comparado a outros disponíveis. Além disso, trata-se de um ativo descentralizado, o que gera ainda mais dúvidas sobre como fazer a compra e venda de bitcoin.

No ano passado, vivemos uma febre de investimentos na novidade que era o bitcoin para o investidor brasileiro, gerando uma certa confusão com relação às informações e muito espaço para esquemas fraudulentos de pirâmides financeiras, como vemos quase todos os dias nas notícias sobre criptomoedas.

O ano de 2019 trouxe mudanças quanto à regulamentação do mercado de investimentos de ativos digitais e criptomoedas e consolidou o mercado de criptoativos. Segundo a estimativa da Associação Brasileiras de Criptoeconomia (ABCripto), o mercado brasileiro negociou R$ 5 bilhões no primeiro semestre deste ano.

 

Comprar bitcoins vale a pena?

Essa é uma pergunta com uma resposta que divide bastante as opiniões: para alguns grandes nomes dos investimentos como o bilionário Mark Cuban, o bitcoin é apenas uma grande bolha prestes a estourar.

Para alguns investidores experientes do mercado tradicional, comprar bitcoins é um investimento que vai valer muito a pena no longo prazo. Investir agora naturalmente gera um certo receio por conta da alta volatilidade da criptomoeda. Afinal, o bitcoin já foi de menos de US$ 1 mil para US$ 17 mil em um ano, e depois de cair para US$ 3 mil, voltou para US$ 10 mil no ano seguinte.

No entanto, para os especialistas do setor financeiro, é comum que o preço dos ativos  flutuem consideravelmente. Portanto, esse ponto não deveria ser usado como argumentação para não investir neste ativo digital. O importante é definir bem se a sua carteira de investimentos comporta um ativo com esse nível de volatilidade e se de fato você entende bem a tecnologia e acredita que ela será bem sucedida no que se propôe.

Como comprar e vender bitcoins?

O primeiro passo é entender que a rentabilidade do bitcoin, nos últimos anos tem sido de fato alta, quando comparada a outros ativos mais tradicionais, mas ainda assim não é garantido que permanecerá se valorizando no futuro.

Além disso, o investidor precisa pesquisar bastante sobre a solidez da empresa com a qual está pensando em comprar bitcoins. Não dá para acreditar em promessas de ganhos de 5% ou 10% de ganho mensal com bitcoin, como costuma ser alardeado. Poucos investidores do mundo, mesmo os que apostam em ativos mais voláteis, conseguem mais do que 20% anuais de rentabilidade média.

Segundo passo: você já criou sua wallet de bitcoins? Sem uma carteira digital, você não consegue adquirir bitcoins. Para criar uma carteira de bitcoin para receber essas criptomoedas, você pode escolher um desses sites:

  • Blockchain: uma das primeiras carteiras digitais existentes.
  • BTC.com: mantém o usuário no controle total dos bitcoins.
  • GreenAddress: carteira multi-assinatura disponível via web, desktop, Android e iOS, e compatível com carteiras de hardware.
  • Mycelium: a carteira bitcoin mais popular para Android. É muito fácil de usar para enviar e receber pagamentos.

Existem várias outras wallets de bitcoin na web, carteiras inclusive que fornecem, na mesma solução, a opção de armazenar outras criptomoedas. Além disso, você tem a opção de criar uma carteira de bitcoins em hardware, um processo que exige um pouco mais de estudo e aprofundamento, mas garante mais segurança para o armazenamento, pois suas credenciais estarão protegidas de invasões digitais. Estas carteiras em hardware, conhecidas como hard wallets, são bastante recomendadas pelos usuários mais experientes. As mais conhecidas são a Trezor e a Ledger.

Agora que você já escolheu uma empresa confiável, fez seu cadastro com ela e apresentou todos os documentos de comprovação de identidade exigidos, é hora de efetivamente comprar os bitcoins. O processo é relativamente simples e tem algumas opções de pagamento, mais ou menos no mesmo formato da compra de ações na bolsa ou algum outro ativo tradicional:

  • Cartão de crédito (debitando um valor todo mês)
  • Conta corrente, debitando o valor direto na conta
  • Transferência dos valores totais ou parciais para a conta da empresa
  • Depósito por TED

Isso é feito para você ter um saldo em reais (R$) ou dólares (caso você escolha essa moeda) para fazer a troca pelo bitcoin. Algumas empresas possuem limites diários de R$ 5.000,00 de depósito, mas se você tem interesse em negociar grandes valores de uma só vez para aproveitar uma baixa do bitcoins, vale a pena entrar em contato com a empresa para analisar o seu caso especificamente.

Vale lembrar que para cada transação de troca de bitcoins, tanto na compra quanto na venda, existe uma taxa de corretagem que geralmente é cobrada em bitcoins para concretizar o negócio. Depois de confirmar a quantidade que deseja comprar, a empresa se encarregará de fazer a transferência do valor direto para a sua carteira bitcoin.

O processo para vender bitcoins também não é nada complexo. Você seleciona a quantidade de bitcoins que deseja vender, escolhe o valor de venda na moeda que deseja receber, desconta a taxa de corretagem e pronto: sua venda foi feita, com o valor líquido a receber apresentado na própria janela.

sobre o autor


Redação

Redação

Somos um site focado em criptomoedas e tudo o que permeia este universo. Voltado para todos os públicos interessados, desde os que querem aprender mais sobre o assunto até os que tem vontade de se aprofundar, o Future of Money oferece um rico conteúdo de forma simples e objetiva para disseminar cada vez mais o conhecimento sobre os digital assets.

mais artigos do autor