Blockchain no agronegócio: conhecendo o mercado

1.2.2020

Como o blockchain vai revolucionar o agronegócio e a produção e distribuição de alimentos da fazenda até o prato?

Entre os muitos setores da economia em que o blockchain pode gerar benefícios, a combinação blockchain e agronegócio é uma das que mais têm chances de ser bem-sucedida. Sabemos o tamanho da importância do agronegócio no PIB brasileiro e como o país é um dos maiores players do mercado agrícola mundial.

Nos últimos anos, as transações comerciais na agricultura foram transformadas pela digitalização da cadeia de valor. No entanto, ainda existem muitos desafios relacionados à rastreabilidade dos produtos e à transparência no gerenciamento da cadeia de suprimentos agrícolas, especialmente para tornar as transações seguras. O blockchain pretende resolver essas lacunas.

O uso dessas tecnologias descentralizadas nas transações da produção agrícola, por exemplo, pode ser interessante tanto para produtores, consumidores, governos de países fornecedores, governos de países consumidores, sistema financeiro, entre outros, já que pode agregar valor e economizar muito tempo e trabalho no setor.

Além disso, quando a produção agrícola aumentar (em 2050, teremos 10 bilhões de pessoas no planeta e precisaremos aumentar consideravelmente a produção de alimentos), será necessário também olhar para a proteção ambiental, o uso racional da água, bem como a criação de produtos mais saudáveis.

E se pudéssemos verificar a qualidade dos alimentos antes de comê-los? Essa é uma exigência do próprio mercado de alimentos, que vem amadurecendo com os anos, exigindo mais informações sobre o que consumimos. E esses sistemas vão fazer com que os produtos sejam rastreáveis tanto para o produtor, quanto para o consumidor, informando quais técnicas usadas na produção agrícola, ou se o produto é orgânico, por exemplo.

 

O agronegócio hoje

O agronegócio no mundo representa hoje cerca de 6,4% de toda a produção mundial empregando 40% da força de trabalho global, com um valor de produção próximo dos US$ 5 trilhões. Qual é o atual estado do agronegócio no que se refere ao uso de blockchain?

Praticamente zero. São poucos os casos de blockchain sendo utilizado para fazer esse trabalho de rastreamento da produção agrícola. Atualmente, a cadeia tradicional de produtos agrícolas não possui uma maneira segura de verificar se todos os produtos foram produzidos nas condições especificadas pelo comprador.

Imagine que uma grande rede de supermercados alemã quer comprar uma produção de maçãs da região gaúcha. Por mais que marcadores ou sensores para a detecção de produtos químicos ou aspectos fora dos regulamentos possam ser incluídos em determinados pontos, o grau de confiabilidade dos dados ainda é pequeno. As informações podem ser manipuladas ou omitidas por órgãos reguladores. Além disso, é bastante difícil detectar em qual fase logística essa manipulação pode ter ocorrido.

Agora imagine que o produtor dessas maçãs começou a usar um código de smart contract em blockchain e, por causa disso, os registros de todos os procedimentos em sua produção agrícola, da fertilização, os agroquímicos, condições climáticas e data da colheita, entre outros são armazenados de forma segura.

Essa informação incluída no blockchain não pode ser alterada. Além disso, todas as informações são auditadas e validadas adequadamente. Quando ele coloca sua produção à venda, toda esse histórico vai junto. Durante a exportação, todas as informações sobre as condições de envio (período de espera, condições de armazenamento) também são incluídas.

Na Europa, o responsável pelo setor de compras do supermercado faz a verificação das informações para saber se a maçã cumpre os regulamentos no que se refere ao não uso de agroquímicos, indicando que a produção agrícola é 100% orgânica, exatamente do jeito que seus consumidores alemães desejam.

Mas o blockchain no agronegócio só serve para rastrear a produção agrícola?

Não. Existem outras funções importantes do blockchain  nesse setor. Soluções envolvendo o seguro da plantação, a conexão da demanda com a produção, otimizando a cadeia logística, além de soluções para otimizar transações financeiras do setor agrícola, otimizando também a venda de commodities como soja, cana de açúcar e café, por exemplo, são alguns dos caminhos que podem surgir para o blockchain no agronegócio.

Vamos ver, em detalhes, alguns desses segmentos que combinam blockchain e agronegócio:

Seguro Agrícola

Os sistemas de seguros agrícolas na região Ásia-Pacífico abrangem desde os principais programas do setor público da Índia e das Filipinas, até parcerias público-privadas na China e na Coréia e, finalmente, mercados puramente privados encontrados na Austrália e Nova Zelândia e privados não formais, bem como iniciativas mútuas e comunitárias de cultivo e pecuária em Bangladesh, Índia e Nepal.

Os esquemas de seguro agrícola de baixo custo são cada vez mais vistos como mecanismos para fornecer proteção social ao número crescente de pessoas afetadas por inundações ou secas e ajudar a diminuir os impactos que sofrem como resultado de tais eventos.

No entanto, apesar dos múltiplos benefícios, a taxa de adoção de produtos de seguros pelos pobres rurais ainda permanece relativamente baixa. Os mecanismos existentes para validar reivindicações e efetuar pagamentos ainda são demorados e esse é um dos motivos para o seguro baseado em índices não ser escolhido como a primeira estratégia de mitigação de risco pelos pequenos agricultores.

O seguro agrícola baseado em Smart Contracts pode automatizar e simplificar bastante o processo, facilitando pagamentos instantâneos ao segurado em caso de incidentes climáticos, por exemplo. Os feeds de dados automáticos forneceriam dados hiperlocais constantes e confiáveis ​​ao contrato, eliminando assim a necessidade de avaliação de reclamações no local por um auditor.

Logística

Quem já trabalhou com cadeia de suprimentos agrícolas conhece os desafios que existem na logística desses produtos. Lidar com produtos que geralmente têm uma vida útil muito curta em condições incertas e em grandes quantidades, é bastante arriscado do ponto de vista financeiro. Além disso, ainda há o fator de incerteza da demanda.

Outro ponto importante da logística no agronegócio são as fraudes. O custo de fraudes com o comércio de alimentos e matérias-primas para a produção de produtos alimentícios custa em média US$ 40 bilhões por ano para o mundo, de acordo com um relatório da PwC.

O blockchain foi imediatamente identificado como uma ferramenta importante para criar soluções criativas e inovadoras para resolver esses problemas de logística agrícola e de alimentos.

No entanto, essas tecnologias descentralizadas são apenas uma parte de uma infraestrutura digital maior, que permite aos usuários acessar facilmente a camada de protocolo e garante que as informações gravadas representem verdadeiramente o estado da mercadoria física no mundo real.

Registro de Terras

Nos registros de terras, as implementações baseadas em blockchain podem fornecer uma base de dados de registros de terras que é basicamente incorruptível. Especialmente no caso da zona rural mais pobre, por exemplo, se isso estiver efetivamente vinculado à identificação governamental/identificação digital, então a segurança digital dos registros da terra, mesmo em tempos de desastres naturais ou guerras, não seria um problema.

Segundo à ONU, há trabalhos na Índia para tornar o registro de terras mais confiável. Em um nível avançado, esse projeto fará a captação e armazenamento permanente de cada transação durante a negociação de uma propriedade. Isso significa que você obtém rastreabilidade e transparência quase em tempo real em relação ao estado das propriedades.

A autoridade de propriedade da terra do governo sueco, Lantmäteriet, testou o registro de terras e as transações de propriedade via blockchain. Eles acreditam que isso fornece uma maneira segura de ter documentos originais digitais e que isso pode reduzir centenas de milhões de dólares em despesas para o governo. A República da Geórgia está experimentando o uso da rede bitcoin para validar transações governamentais relacionadas à propriedade.

Sustentabilidade

Será possível usar o blockchain para desenvolver soluções de monitoramento ambiental, verificação e elaboração de relatórios sustentáveis para a emissão de títulos verdes.

Os títulos verdes foram criados para financiar projetos com benefícios ambientais e/ou climáticos positivos. Com o aumento do valor dos títulos, é necessário ter mecanismos efetivos de rastreamento, rastreabilidade e verificação para ajudar a aumentar a confiança dos investidores em iniciativas inteligentes em termos climáticos. Os créditos de carbono e a negociação neles podem se beneficiar da confiança que um blockchain oferece.

Outros usos possíveis são: 

O blockchain representa um conjunto de tecnologias descentralizadas com uma grande promessa de fornecer mais consistência em grandes áreas da indústria agrícola. Além das que citamos acima, também existem oportunidades a serem desenvolvidas nas seguintes áreas:

  • Supervisão do inventário agrícola
  • Melhorar as cadeias de suprimentos agrícolas
  • Modernizar o software de gestão da fazenda
  • Otimizar o uso de tecnologias IoT no campo
  • Supervisão de subsídios agrícolas
  • Soluções Mobile para pequenos agricultores
  • Automação da gestão financeira das fazendas
  • Incentivo à soluções sustentáveis

8 startups de blockchain que estão transformando o agronegócio

Já existem algumas startups ao redor do mundo trabalhando em soluções usando blockchain no agronegócio.

AgriChain – Uma empresa de blockchain focada em permitir transações e processamento agrícola ponto a ponto, eliminando intermediários.

AgriDigital – Uma solução de gerenciamento de commodities baseada em blockchain e integrada para a indústria global de grãos. A plataforma ajuda a processar transações agrícolas complexas por meio de Smart Contracts.

AgriLedger – Um projeto de empresa social no Reino Unido que ajuda os agricultores a rastrear as origens dos alimentos, facilitando o acesso ao financiamento e armazenando dados de transações.

Demeter – Um hub para alugar e cultivar pequenas produções em qualquer lugar do mundo – sem intermediários, complexidade ou despesas gerais de uma grande organização.

Etherisc – Uma startup de blockchain que oferece seguro para a colheita a agricultores através de seus aplicativos de seguro descentralizados.

Ripe – Ao projetar uma cadeia digital transparente de suprimento de alimentos, a startup aproveita os dados de qualidade dos alimentos para criar o Blockchain of Food – mapeando a jornada dos alimentos.

TE-FOOD – Aplica ferramentas de identificação de gado, transportes e pacotes de alimentos frescos para acompanhar os itens em toda a cadeia de suprimentos agrícolas.

Worldcovr – Fornece um seguro agrícola para proteção contra a perda de rendimento usando satélites para monitorar as chuvas, e acionando os pagamentos automaticamente, caso necessário.

 

Caso de Sucesso no Brasil

O Brasil também já tem alguns casos de sucesso de empresas que utilizam blockchain no agronegócio. É o caso da Caipira Express, um e-commerce que utiliza soluções de blockchain para rastrear a produção de queijo, do pasto até à distribuição do produto final em vários empórios no Brasil e no mundo.

Reconhecidos como alguns dos melhores queijos do mundo, os queijos da Serra da Canastra exigem esse tipo de validação confiável devido ao seu valor agregado. Por isso, essa empresa de Araxá resolveu essas tecnologias descentralizadas para a certificação e verificação da procedência de queijos, rastreando toda a cadeia de produção e distribuição.

Eles são avaliados, registrados com um número de série e um QR code ancorado a um registro em um blockchain. A partir daí, estão prontos para serem comercializados. Com esse código, o consumidor tem acesso a detalhes sobre a matéria-prima, local de fabricação e os responsáveis pela produção e revenda.

Além disso, as compras realizadas no Caipira Express são facilitadas com a integração do blockchain, que oferece a possibilidade de comprar queijos usando bitcoin – e mais futuramente os caipiracoins, criptomoeda que eles pretendem criar para o e-commerce.

 

Blockchain no agronegócio

Na agricultura, o blockchain se mostrou como um conjunto de tecnologias descentralizadas que pode ajudar repensar muitos processos existentes. Ele  tem um potencial muito grande de uso na área agrícola e de produção de alimentos, bem como na criação de novos mercados. No entanto, não é a panaceia para todos os problemas do setor do agronegócio.

Como em qualquer outro mercado, é necessário se manter atualizado sobre os mais recentes desenvolvimentos nos processos agrícolas, um ponto complexo, mas essencial para melhorar todo o setor.

Dado o rápido desenvolvimento dessas tecnologias descentralizadas, tornou-se necessário manter-se informado dos desenvolvimentos mais recentes no campo para ficar à frente da concorrência.

Além disso, o desenvolvimento de soluções utilizando blockchain sem uma avaliação cuidadosa dos desafios existentes, incluindo infraestrutura, educação digital da mão de obra do campo, conectividade ampla – conexão 4G e 5G plenas -, entre outros pontos, exige investimentos por parte dos produtores rurais.

sobre o autor


Redação

Redação

Somos um site focado em criptomoedas e tudo o que permeia este universo. Voltado para todos os públicos interessados, desde os que querem aprender mais sobre o assunto até os que tem vontade de se aprofundar, o Future of Money oferece um rico conteúdo de forma simples e objetiva para disseminar cada vez mais o conhecimento sobre os digital assets.

mais artigos do autor