Bitcoin – Tudo sobre Bitcoin

4.10.2019

Preparamos um artigo especial com tudo sobre bitcoin, para você começar a investir neste ativo digital com segurança e conhecimento

Simplesmente a criptomoeda mais popular da atualidade, o bitcoin ganhou mais atenção nos últimos anos depois do seu preço ultrapassar US$19 mil. Em 2019 ele ainda representa um dos protagonistas de uma transformação digital intensa em diversos setores da sociedade.

E esse é um ponto essencial quando o assunto é bitcoin: ele não é apenas uma criptomoeda. As tecnologias envolvidas em seu funcionamento – computação distribuída P2P, criptografia avançada, entre outras – são base para uma revolução em diversos segmentos.

 

O que é Bitcoin?

O bitcoin é uma moeda digital utilizada para transações ponto-a-ponto (peer-to-peer) em uma rede distribuída e confiável chamada blockchain, que não exige intermediários – cada transação é verificada por todos usuários da rede e gravada neste banco de dados compartilhado. Essa criptomoeda vem sendo usada cada vez mais em todo o mundo desde a sua criação em 2009, por Satoshi Nakamoto, que até hoje (2019) tem sua identidade desconhecida, possivelmente sendo a representação de um grupo de desenvolvedores ao redor do mundo.

O bitcoin é considerado a primeira moeda descentralizada do planeta – todas as outras moedas digitais até então eram controladas por alguma entidade reguladora e centralizadora, seja o governo, um imperador, um banco ou alguma outra instituição.

No âmbito financeiro internacional, o bitcoin é parecido com o ouro, já que pode ser considerado uma reserva de valor, um ativo especulativo de hedge contra crises no sistema financeiro tradicional. Porém, muitos economistas não consideram o bitcoin uma moeda completa, pois raramente é utilizada como unidade de conta, e seu uso como meio de troca ainda é um pouco restrito.

 

Como o bitcoin é gerado?

Novos bitcoins são gerados por um processo descentralizado conhecido como mineração, que acontece dentro da blockchain. Como essa rede usa um sistema de consenso distribuído, ela depende da prova de trabalho (PoW) dos diversos computadores conectados a essa rede para gerar o consenso se uma transação envolvendo bitcoins é confiável ou é uma fraude.

Para fazer essa confirmação, os mineradores precisam gastar energia computacional para dar o aval às transações por meio da resolução de problemas computacionais criptográficos complexos. Por validarem as transações, os mineradores são recompensados com bitcoins pela rede por seus serviços de confiabilidade e segurança digital por criptografia na blockchain.

São os mineradores de bitcoin que processam as transações e protegem a rede usando hardware especializado. Com isso, eles coletam novos bitcoins. Quando a blockchain foi lançada em 2009, cada recompensa de bloco de bitcoin valia 50 BTC. A recompensa do bloco vai sendo reduzida pela metade após a resolução de cada 210.000 blocos, o que leva cerca de quatro anos (em média) para acontecer, em média. Para se ter uma ideia dos valores, como a rede começou em 2009, em fevereiro de 2019, uma recompensa de um bloco já era 12,5 BTC, por exemplo.

 

Como alguém pode adquirir bitcoins?

Existem quatro principais formas de adquirir bitcoins:

  • Como pagamento por bens ou serviços
  • Comprando bitcoins em uma exchange de criptomoedas
  • Trocando bitcoins com alguém (de uma carteira digital para outra diretamente)
  • Ganhando bitcoins por meio de mineração

 

Como um bitcoin é armazenado?

Para armazenar um ou mais bitcoins, ou até mesmo pequenas frações, o caminho mais recomendado é ter uma carteira de bitcoin, ou bitcoin wallet. Sem uma carteira, você não pode enviar bitcoins. Cada carteira contém endereços públicos, como se fossem o número da sua conta bancária, e chaves privadas, como se fossem a sua senha da conta. As carteiras são como aplicativos que fazem a gestão dessas chaves e te permitem trer acesso à rede blockchain, para onde as transações de bitcoin são enviadas e realmente acontecem.

Para criar uma bitcoin wallet, é necessário primeiro entender qual o sistema operacional do smartphone e do computador utilizado para o acesso; que nível de controle será fornecido à instituição que administra a carteira digital; o nível de privacidade e transparência; bem como as taxas cobradas no caso de transferências feitas da carteira para terceiros.

Com isso em mente, vamos conferir algumas opções confiáveis de bitcoin wallets para você aprender como criar uma carteira de bitcoin e como receber essas criptomoedas:

  • Blockchain: uma das primeiras carteiras digitais existentes.
  • BTC.com: mantém o usuário no controle total dos bitcoins.
  • GreenAddress: carteira multiassinatura disponível via web, desktop, Android e iOS, e compatível com carteiras de hardware.
  • Mycelium: a carteira bitcoin mais popular para Android. É muito fácil de usar para enviar e receber pagamentos.

Agora, vamos considerar que você criou uma carteira digital no blockchain. Como receber bitcoins na carteira blockchain? Você quer receber o pagamento em bitcoins por um trabalho que realizou. É só pegar o endereço da sua carteira e compartilhar com quem precisa te pagar. Ele seleciona a opção “envio de bitcoin” na carteira dele, informa o valor que deseja transferir, insere o endereço da sua carteira para receber a transferência e seleciona a opção “enviar”. Pronto! Em pouco tempo, os bitcoins estarão na sua carteira blockchain.

O bitcoin é rastreável?

O bitcoin não é rastreável. Mas, ao mesmo tempo, é. Calma, vamos explicar. Ao fazer transações com bitcoin, seu nome/identidade real não é usado de nenhuma forma, somente seu endereço público fica disponível. Mas a blockchain do bitcoin é um livro permanente que é transparente em termos de acesso e divulgação das informações.

Se alguém souber o seu endereço público de bitcoin, poderá ver quantos bitcoins você possui e quais transações fez. Foi assim que o FBI conseguiu prender o dono da Silk Road, um espaço virtual que vendia drogas ilícitas em troca de pagamentos feitos com bitcoins, que supostamente eram impossíveis de rastrear.

 

Como comprar e vender bitcoin?

Essa é uma das principais perguntas que os interessados em bitcoin costumam fazer. No início da rede Bitcoin, para negociar a compra e venda de bitcoins você precisava se cadastrar em uma exchange de bitcoins, que eram bastante amadoras. Em outras palavras, o risco era bastante grande.

Hoje, as exchanges já são muito mais consolidadas e profissionais, a maioria delas se submetendo a leis e regulações específicas em seus países de atuação e possuindo bons sistemas de segurança. O processo é simples: você se cadastra na plataforma da exchange, envia algumas comprovações de identidade e pronto: já pode comprar seus bitcoins apenas vinculando uma conta com os valores em real ou dólar, ou fazendo uma transferência para efetuar a compra de bitcoins e enviá-los para sua bitcoin wallet.

Para comprar cinco bitcoins, por exemplo, atualmente (outubro de 2019), você precisaria transferir cerca de R$ 165.000,00, já que a cotação de 1 bitcoin (BTC) é de R$ 33.141,33 ou US$ 8.000,27 (valores do dia 16/10/19). No entanto, é bastante difícil prever o comportamento das altas e baixas dessa criptomoeda.

 

O futuro do bitcoin no mundo

Para muitos profissionais do setor financeiro, moedas devem ser emitidas pelos bancos centrais dos países, precisam ser controladas pelos governos e, por isso, o bitcoin não teria muito futuro com a tecnologia descentralizada de transações.

Outros profissionais acreditam que o bitcoin e outras criptomoedas e ativos digitais são o futuro do setor financeiro. Por mais incerto que seja o futuro de uma moeda digital como o bitcoin – do qual sequer o criador é conhecido -, é impossível negar o potencial de disrupção desses ativos digitais e da agilidade, segurança e confiabilidade que eles trazem para transações comerciais em geral, sejam as pequenas transações do dia a dia de uma pessoa comum ou as  gigantescas negociações de multinacionais e governos.

Para especialistas da área, o bitcoin e outras criptomoedas vão representar uma nova e melhor forma de armazenar valor em países nos quais a moeda nacional é bastante volátil, diminuindo as instabilidades e chances de grandes crises econômicas. Para muitos, o bitcoin já representa uma forma prática e ágil de transferir dinheiro para outros países sem demora e taxas abusivas.

sobre o autor


Redação

Redação

Somos um site focado em criptomoedas e tudo o que permeia este universo. Voltado para todos os públicos interessados, desde os que querem aprender mais sobre o assunto até os que tem vontade de se aprofundar, o Future of Money oferece um rico conteúdo de forma simples e objetiva para disseminar cada vez mais o conhecimento sobre os digital assets.

mais artigos do autor